Estratégia de Conteúdo: o que é, como funciona e tutorial para criar a sua Quer saber tudo sobre Estratégia de Conteúdo? A gente te conta e ainda te dá um tutorial detalhado pra você definir a sua

Ainda tem gente achando que para criar um negócio digital basta seguir meia dúzia de passos que uns e outros ensinam aí na internet e pronto. Também já tem gente sacando que além de dominar as TÉCNICAS,também tem de PRODUZIR CONTEÚDO. E, já tem gente mais espertinha ainda, percebendo que só produzir conteúdo também não é suficiente. Tem de ter, desenvolver e aplicar uma ESTRATÉGIA DE CONTEÚDO.

A frase da modinha na boca de mestres e gurus do Marketing Digital é: “Conteúdo é rei.” E ela está mais do que certa. Conteúdo é rei mesmo! Mas, você sabe porque tá todo mundo falando isso? Sabe como isso tudo funciona? Sabe como se aproveitar dessa majestade do conteúdo pra se dar bem no mercado?

Aqueles carinhas mais espertos que eu falei lá em cima já entenderam que a produção e entrega de conteúdo precisa ser pensada estrategicamente e é sobre isso que nós vamos falar aqui.

Se você tá aí meio perdidão, sem saber que precisa produzir conteúdo ou se já entendeu essa parte, mas ainda não sabe muito bem porquê, nós vamos te explicar tudinho. E vamos fazer mais ainda: vamos te contar como criar a sua ESTRATÉGIA DE CONTEÚDO pra você começar a turbinar seu negócio digital hoje mesmo.

Nesse artigo, nós vamos de contar o que é esse tal de Marketing de Conteúdo e porque ele é assim tão importante, especialmente para quem está no mercado digital. Também vamos explicar o que é essa tal de estratégia de produção de conteúdo e como você pode usar isso para melhorar sua performance no marketing digital. Vamos te contar sobre várias estratégias que não podem ficar de fora do seu planejamento e vamos te dar um passo a passo completo pra você criar a sua!

Então, se liga aí que tem um material TOP chegando na sua mão agora para você conseguir produzir e entregar mais conteúdo top também para seu público.

Afinal, porquê conteúdo é rei?

Segundo dados do eMarketer, um instituto de pesquisa americano, oferecer conteúdo para o público gera cerca de 70% mais engajamento que usar apenas anúncios pagos. Esse mesmo instituto diz também que mais de 80% das pessoas tomam decisões – de compra principalmente – baseadas em artigos, vídeos e outros materiais informativos e não em publicidade. Daí a gente pode concluir que basear nossas estratégias de marketing apenas em anúncios e ofertas de vendas é cilada.

Marketing Tradicional é essa técnica aí de tentar vender o tempo todo através de anúncios e ofertas de produtos. Já o Marketing de Conteúdo é justamente esse lance de focar na produção e entrega de conteúdo para o público alvo para ganhar a confiança das pessoas – se tornando uma figura de autoridade – e vender mais por causa dessa confiança conquistada.

Sabe aquele amigo que tem um perfil no Instagram que mais parece um catálogo de vendas ou um panfleto de supermercado ou aquela amiga que tem um canal no Youtube com cara de canal Polishop? Pois é… eles estão usando uma estratégia de marketing que funcionou por muito tempo, mas não funciona mais tão bem e muito provavelmente vão ter de mudar seu jeito de trabalhar porque seus resultados tendem a ser bem meia boca, se é que terão algum resultado.

O lance é apostar nisso aí que os especialistas estão chamando de Marketing de Conteúdo. E é por isso que tá na boca da galera que CONTEÚDO É REI. Porque é mesmo!

Mas, não adianta sair atirando – ou vomitando – textos, vídeos e posts em cima do seu público achando que qualquer conteúdo serve. O buraco é mais embaixo.

Para gerar engajamento de verdade, promover vendas consistentes e trazer resultados bacanas, tem de fornecer conteúdo de valor, ou seja, tem de oferecer informações úteis, relevantes e atuais para sua audiência.

  • Conteúdo Útil é aquele material que realmente vai ajudar seu público a resolver algum problema que o incomoda, a sanar alguma dor dele. Por isso, a gente tem de saber quais são os problemas que nosso público precisa resolver.
  • Conteúdo Relevante é aquele que tem importância de verdade para sua audiência. Tá cheio de material bombando na net aí, viralizando geral e que não acrescenta nada para quem o consome. Esse é um exemplo de conteúdo não tão relevante assim e que, portanto, não vai fazer diferença na hora de a pessoa decidir se compra ou não um determinado produto.
  • Conteúdo Atual é aquele que não está defasado e nem atrasado, ou seja, é material saindo do forninho, com dados recentes, que vão mesmo ajudar sua audiência.

Essas três características são fundamentais para determinar o valor de um conteúdo. Resumindo: não adianta produzir qualquer coisa e sair postando aí, meio no desespero. O conteúdo precisa seguir alguns critérios para ser considerado realmente bom e, consequentemente, para gerar engajamento, vendas e resultados consistentes.

Conclusão: CONTEÚDO É REI, mas não é qualquer conteúdo que tem majestade de verdade.

O conteúdo, além de ser bom de verdade, precisa estar estruturado e organizado estrategicamente. Assim, além de atender as necessidades do público, ele também vai conduzir as pessoas através de uma JORNADA DE COMPRA, ou seja, vai fazer com que pessoas comuns se tornem clientes.

Como produzir um conteúdo majestoso?

Em primeiríssimo lugar, para produzir um conteúdo que seja rei de verdade, com coroa e tudo, você precisa CONHECER SEU PÚBLICO. Só quando você realmente conhece seu público, você é capaz de saber se uma determinada informação ou um conjunto de informações é realmente útil, relevante e atual para ele.

Você também precisa se ligar nesses critérios aí e se manter fiel a eles. TODO CONTEÚDO precisa ser útil, relevante e atual para a audiência, senão ele perde consistência e, consequentemente, perde o status de rei.

Uma sacada bacana para ter conteúdos TOP em seu arsenal é você diversificar a produção. Textinho, textão, fotos, desenhos ou ilustrações (vetores, para os íntimos), carrossel, montagens, vídeos, infográficos, ebooks, webinários, tutoriais… Existe uma infinidade de possibilidades para você escolher em que formato vai entregar seu conteúdo e você ainda pode usar sua criatividade para inventar novos formatos.

Estratégia de conteúdo: Produza o seu conteúdo
Estratégia de conteúdo: Produza o seu conteúdo

Outra sacada legal é usar vários formatos para o mesmo material, assim, você entrega o mesmo conteúdo de formas diferentes e pode alimentar várias mídias e atingir um público mais amplo.

Tutorial completo para criar sua estratégia de conteúdo

1. Crie um documento para seu plano estratégico

Crie um documento para colocar todas as suas ideias no papel, assim você não se perde no meio de tantas informações. Você pode usar papel e caneta, bloco de notas do celular ou do computador, documento do Word, planilha no Excel… o que você achar mais fácil. Mas, não deixe de documentar.

2. Conheça o público

Você só vai ser capaz de produzir conteúdos úteis, relevantes e atuais se você conhecer bem o seu público e souber o que ele quer e precisa.

O primeiro passo para conhecer seu público é saber quais são as dores, desejos e necessidades dele que você possa ajudar a resolver com seu conteúdo e com os produtos e serviços que vai vender.

Informações como idade, sexo, localização, estado civil etc também são relevantes para você definir a linguagem que irá usar e os assuntos que vai abordar.

Faça um levantamento completo de todos os dados sobre seu público, apure o máximo possível e tente entender como ele pensa, o que gosta ou não, seus objetivos de vida e tudo mais. Entre na cabeça do seu público.

Isso é o que a gente costuma chamar de “criar sua persona”.

3. Trace seus objetivos e metas

Estabeleça, com o máximo de clareza, o que você pretende alcançar com essa sua estratégia de conteúdo. Tenha em mente que cada conteúdo específico pode ter – e terá – objetivos específicos, mas, estabeleça seus objetivos gerais com seu plano estratégico: Aumento de vendas? Melhoria no engajamento? Mais visibilidade? Atrair mais pessoas para seu funil de vendas? O que exatamente você quer?

4. Defina métricas de mensuração

Um passo importante em qualquer plano é a possibilidade/necessidade de medir os resultados. Se você define que seu objetivo é aumentar as vendas, você precisa definir também um índice que vai te permitir verificar se esse aumento aconteceu e de quanto foi.

Então, para cada objetivo que você traçou no item anterior, busque definir também como você vai ter certeza de que o objetivo foi atingido. As redes sociais, as plataformas de vendas, o Youtube, o Google etc todos têm ferramentas que te permitem analisar os dados e mensurar os resultados com cada ação, com cada conteúdo produzido, com cada postagem feita.

5. Conheça sua marca

Pode parecer esquisito falar disso, mas nem todo mundo conhece a si mesmo, a sua empresa ou seu negócio. Tá cheio de gente por aí se achando mente brilhante quando não passa de testa oleosa, ou seja, tem muito empresário, empreendedor e profissional do marketing digital que não analisa criticamente suas FORÇAS e FRAQUEZAS.

Autoconhecimento e autocrítica são fundamentais para traçar um perfil realista do negócio ou da empresa.

E, por que isso é importante? Porque se você não se conhece, não sabe das suas forças e fraquezas, você acaba vacilando em uma porção de coisas, acaba achando que tá tudo bem quando não está ou mesmo achando que fracassou quando tá no meio de uma p*** onda de sucesso.

Então, faz aí um exame de consciência e veja onde você tá acertando, onde tá vacilando, o que precisa melhorar, o que precisa parar de fazer e o que tá passando de hora de começar. Seu negócio agradece.

6. Conheça o mercado

Tem gente por aí que acha que o mercado precisa ser adivinhado. Mentira! O mercado precisa ser analisado. Achismo é coisa de gente amadora e amadores tendem a fracassar.

Observe bem seu mercado, leia e estude a respeito, saiba o potencial de crescimento, entenda como ele funciona, conheça seus concorrentes. Perceba as OPORTUNIDADES e AMEAÇAS que estão à solta por aí nesse mercadão de meu Deus.

Pode parecer óbvio, mas nunca é demais repetir: fuja das ameaças e aproveite as oportunidades.

7. Elabore um Plano Editorial

Esse Plano Editorial será a mola-mestra da sua produção de conteúdo daqui em diante, portanto, DOCUMENTE.

Nesse documento, que faz parte desse outro que é a definição da sua ESTRATÉGIA DE CONTEÚDO, você vai determinar tudo sobre os conteúdos que vai desenvolver:

  • Que assuntos úteis, relevantes e atuais para seu público você vai abordar em sua produção;
  • Que linguagem vai usar – mais formal ou informal, mais voltada pro humor ou mais séria, mais sofisticada ou do dia a dia. Para definir isso, adivinha: você precisa conhecer seu público e saber como ele se comunica;
  • Que foco você vai dar para cada assunto;
  • Que tipo de material vai produzir: vídeo, textinho, textão, fotos, ilustrações, carrossel…

Procure, sempre, mesclar a produção de conteúdos voltados para pessoas no topo, no meio e no fundo do seu funil de vendas, ou seja, para pessoas que ainda estão te conhecendo, para aquelas que já estão encaminhadas na jornada de compra e para aquelas que já estão prontas para comprar.

Não perca de vista também a necessidade de produzir conteúdos que gerem engajamento, ou seja, que levem seu público a agir, seja curtindo, comentando, compartilhando ou até mesmo comprando.

8. Quantidade X Qualidade

Tenha em mente também que QUALIDADE é mais importante que QUANTIDADE. Tenha foco, sempre, na qualidade do seu material. É essa qualidade que vai gerar engajamento, confiança e, consequentemente, vendas.

9. Defina periodicidade da sua estratégia de conteúdo

Num mundo onde conteúdo é rei, não vale produzir um conteudinho aqui e outro ali. Tem de ter constância e frequência.

Os algoritmos das redes sociais e do Google estão de olho nesses “produtores de conteúdo” que só postam de vez em quando e depois somem, deixando a audiência na mão. E eles não gostam nada disso. Eles curtem mesmo é aquele produtor que posta todo dia ou toda semana, de preferência várias vezes por dia ou várias vezes por semana, sempre em dias e horários certinhos, como se fosse um programinha de TV.

Quem tem frequência e regularidade nas postagens, seja no Instagram, no Youtube, no Facebook ou mesmo no blog, tem muito mais chance de ter seu conteúdo entregue para mais gente. Isso significa mais alcance, mais audiência e, consequentemente, mais possibilidade de vendas.

10. Co-marketing

Determine se, como e quando pretende usar parcerias para incrementar seu negócio e bombar seu conteúdo. Existem várias formas de estabelecer parcerias com outros profissionais de marketing digital ou outras empresas.

Pense em como você pode fazer isso. Aproveita e conta pra gente aí nos comentários desse artigo se você quer que a gente faça um conteúdo voltado especificamente para dar dicas de como firmar essas parcerias. Se você quiser, a gente escreve sobre isso com detalhes.

12. Diversificar canais

Redes sociais, Youtube, Blog… são muitas as possibilidades de canais onde você pode divulgar seu conteúdo e, consequentemente, sua marca, seu nome e seu negócio. Escolha a que melhor atende suas demandas ou abuse de todas elas se achar viável. Só não vale começar uma e largar para começar outra. Tenha CONSTÂNCIA.

13. Plano de divulgação- Estratégia de Conteúdo

Defina, em seu planejamento, como e onde será feita a divulgação do seu conteúdo. Vale usar Instagram pra divulgar vídeo do Youtube ou texto no blog, vale usar Facebook, Stories e Whatsapp para divulgar post no Instagram, vale tudo pro seu conteúdo chegar pra mais gente. SÓ NÃO VALE FAZER SPAM.

14. Otimize – aposte em SEO

Colocar seu conteúdo no topo da lista do Google ou do Youtube pode ser a diferença entre vender bem ou ter resultados mais ou menos ou bem menos que mais. Então, aposte nas técnicas de SEO para otimizar seus conteúdos e fazer ele chagar para mais gente, ou seja, para mais clientes.

15. Analise as métricas para determinar as próximas ações

Depois de planejar tudo e colocar tudo em prática, vai chegar a hora de analisar aquelas métricas que você traçou lá em cima para ver se os resultados foram satisfatórios e se os objetivos – que você também traçou lá em cima – foram atingidos.

Mas, a coisa não termina aí. Analise s métricas, verifique os resultados e comece a replanejar sua estratégia. O que deu certo, você mantém e amplia. O que não deu tão certo assim, você muda e adapta.

E aí, começa tudo de novo. Conta pra gente aqui embaixo, nos comentários, se curtiu esse material sobre estratégia de conteúdo e se tem algum – ou alguns – desses passos que a gente apresentou aqui que você gostaria que virasse um artigo novo em folha, todo detalhadinho e esmiuçado! 😉